Os maiores erros e melhores acertos ao cuidar de plantinhas (cactos e suculentas)

Para quem me conhece e me acompanha no Instagram já sabe que sou apaixonada por plantinhas, principalmente por cactos e suculentas e de uns tempos para cá eu tenho compartilhado um pouco da minha rotina de "jardineira" por lá e decidi trazer um pouco disso para esse post também.

Quando eu decidi cultivar minhas mudinhas eu ainda era muito inexperiente e por isso decidi pesquisar na internet algumas dicas de como cultivar e cuidar dessas plantas. Entre vários erros e acertos, acredito que estou finalmente tenho avançado muito e ganhado muita experiência e agora vou compartilhar algumas das coisas que eu aprendi e também vários dos meus erros. 

Plantinhas que ficam a meia sombra

1. Iluminação

Apesar de cactos e suculentas seres um pouco parecidas, elas não pedem os mesmos cuidados. Observei, após várias tentativas e erros, que os cactos precisam de uma iluminação direta do sol, enquanto as suculentas são mais sensíveis e ter uma iluminação indireta é o mais ideal. A princípio mantive ambas na minha janela (pelo lado de fora) onde recebe muita luz do sol durante o dia. Fiz o teste colocando a mesma espécie de suculenta em vasos separados em locais diferentes. Uma eu coloquei na minha janela, pelo lado de fora, e a outra eu coloquei dentro de casa, onde recebe pouca iluminação. Ambas receberam o mesmo tratamento, a mesma quantidade de substrato e de água. Após três dias a que estava do lado de fora "tombou". E a que estava dentro ficou firme e forte. 

Plantinhas que ficam no meu quarto

Por outro lado, fiz o mesmo teste, mas com um cacto. A princípio ele estava no meu quarto (o mesmo lugar que está essa suculenta que mencionei anteriormente) e observei que ele começou a amarelar até sentir que estava a beira da morte. Decidi mudar de lugar, coloquei no meu corredor onde ele recebe luz direta em alguns horários do dia e me surpreendi com o resultado: cresceu e até começou a brotar. Notei que esse é o local ideal para ambas as plantas, nem muita luz, nem muito sol, ambos na medida ideal. 

Note que até eu encontrar o local ideal na minha casa eu perdi diversas mudinhas achando que uma exposição total ao sol era o ideal e nem sempre é assim. 


2. Rega

Você já deve saber que essas plantas são naturais do deserto e por isso não necessitam de muita água. No entanto, errei muito ao regar com uma frequência curta e em poucas doses. Achava que era o ideal após assistir uma matéria que indicava apenas "borrifar" um pouco de água em suas raízes, ou colocar uma colher de água apenas, mas com certeza não foi o correto. Pesquisei um pouco mais sobre a quantidade de água ideal e também qual a frequência certa para realizar a rega, mas foi testando que descobri o que dava certo. 

Descobri que temos que molhar o suficiente sim, sempre que notarmos que a terra está seca temos que regar o suficiente para até escorrer um pouco embaixo. Você pode testar passando o dedo na terra e testando se ela está seca, se estiver, molhar, se ainda estiver úmida, não coloque mais. A frequência deve ser observada de acordo com a terra e pode ser diminuída em épocas de muito frio (em média uma vez por semana no calor e a cada quinze dias no frio). Esse aspecto foi algo em que também errei muito, dar muita água pode matar sua planta afogada e esquecer de regar por muito tempo também pode matar de sede.


3. Cuidados com a saúde da planta

Plantas são seres vivos e, assim como todos nós, precisa de cuidados para viver bem. Precisamos nos atender a qualidade na terra e nos preocupar em adicionar substratos sempre a cada troca de terra/vaso. Esse é um fator importante que demorei para entender, trocar de vasos é essencial para manter a qualidade de vida da sua planta. Conforme ela cresce ela precisa de mais espaço, logo, de um vaso maior. Ao trocar de vasos é importante trocar a terra também que pode ter sujeiras acumuladas e perda de nutrientes. Preparar a terra também é fundamental, aplique o substrato ideal para sua planta, você pode encontrar facilmente em lojas de jardinagem. 

Uma terra mais arenosa é o mais ideal, então, se possível, misture a terra com um pouco de areia e junte com o pouco de substrato, a sua terra vai estar perfeira para fornecer tudo que seu cacto precisa. É aconselhável realizar essa troca no mínimo duas vezes por ano. Mas se conseguir fazer a cada dois ou três meses, mellhor.

Outra coisa que observei e que não faço ideia se realmente faz sentido, é que minhas plantas, após ficarem suspensas em um local com meia sombra, ficaram mais saudáveis. O teste foi feito com uma rosa do deserto que também estava à beira da morte. Deixamos ela suspensa e logo começou a crescer gradativamente, linda e saudável. Quando observei esse avanço decidi comprar um suporte de plantas e deixar várias delas lá. Além de proporcionar um melhor bem estar as plantinhas, ainda deu um toque lindo de decoração a minha casa, veja:

Suporte suspenso para plantas

Errei muito antes de consegui aprender a melhor forma. Ainda estou aprendendo muita coisa, inclusive o nome de cada espécie de planta. Sei que tenho a "Orelha de Mickey", por exemplo. Já tive a "Orelha de Shrek", tenho como preferida a minha Mammillaria Prolifera (que é uma espécie rara) e tenho como a mais desejada ter agora a famosa "rabo de macaco".

É claro que os cuidados são muito pessoais e podem funcionar de formas diferentes para cada pessoa e local. Mas ter algumas dicas para ter um ponto de partida é fundamental. Com essas dicas simples você poderá evitar os mesmos erros que cometi e conseguir cultivar um lindo jardim de cactos e suculentas. 

25 anos, jornalista e fundadora do Portal Estante da Josy

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.