[Resenha] Para onde vão os suicidas? - Felipe Saraiça

CompreAdicione ao skoob
                O suicídio ainda é um assunto que gera tabu na sociedade em que vivemos. Trata-se de um tema realmente delicado e precisa de certo cuidado para aborda-lo. Lançado pela Editora Pendragon, em 2017, “Para onde vão os suicidas?” é do autor Felipe Saraiça e aborda essa temática de uma maneira muito interessante.
                A escrita de Felipe por si só, é muito agradável, e essa é a segunda obra que li do autor, e confesso que é a que mais gostei. Apesar de ter uma temática pesada, o livro é leve. E não é apenas sobre morte, mas sim sobre a vida.
                A trama acontece sobre a personagem Angelina. Uma jovem com a vida toda pela frente, mas que encontra muitos conflitos dentro de si. Ela não consegue mais suportar o peso do mundo em que vive sobre seus ombros. Então ela resolve colocar um ponto final em sua dor.
                Só que para sua surpresa, ela ainda precisa passar por mais algumas etapas para concluir seu desejo. Então que ela se encontra com Ixtab, uma espécie de guia que irá lhe ajudar a encontrar seu caminho. Para descansar e se desvencilhar do que ainda a prende na Terra, ela precisa convencer as pessoas com pensamentos suicidas, de que a vida vale a pena, caso falhe nessa missão sua alma não conseguirá se libertar de seu corpo.

                Felipe consegue com maestria transmitir os sentimentos que envolvem seus personagens. As aflições, medos, dúvidas, podem ser sentidos por quem realiza essa leitura. Não é um livro que faz apelo pela dor, ele mostra o tema sem romantizá-lo, pelo contrário ele é abordado de maneira real.
                Ele mostra algumas vertentes do ser humano e também reflexões acerca de nosso comportamento e principalmente, que ninguém é capaz de saber a dor do outro.
                Nessa obra você vai encontrar uma escrita delicada e com sutileza sobre o tema. Como eu disse acima, é uma leitura leve, pois o autor consegue na medida certa dar andamento a sua história, de uma maneira que podemos tentar entender um pouco sobre as dores que cercam pessoas com tendências suicidas.
                Apesar de não ser um livro de poesias, eu enxergo muita poesia na escrita de Felipe. Suas palavras tornam a leitura muito mais fluida. Outro ponto interessante neste livro é que seus capítulos são curtos, e bem explicados sobre os personagens e suas histórias.
                Não posso deixar de falar sobre a parte estética do livro que é muito bonita. A capa chama muito a atenção, assim como a diagramação utilizada para a obra, que facilita a leitura.
                Para onde vão os suicidas? É uma leitura que todos deveriam fazer. Afinal, ninguém pode medir a dor do outro, e nem deve tentar. Cada um sabe os monstros que precisa lutar diariamente. Felipe Saraiça consegue em seu livro transmitir muitos sentimentos entre eles à empatia, seja gentil.
                Por hoje fico por aqui! Hoje os deixo com um trecho do livro. Até a próxima!
“Eu plantei flores no jardim
De diversas cores e tamanhos
Talvez vocês gostem de alguma,
E, assim, tenham lembranças boas sobre mim” (pág. 13)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Template desenvolvido por Bruna Borges © Todos os direitos reservados - Powered By Blogger