[Divulgação] Cinco dias de Cretino - A. C. Nunes (dia 4)

Dia 4: Entrevista com autora e curiosidades


Olá, Amanda! Para começar, se apresente para os leitores, de onde você é e como descobriu que queria ser escritora? 
R: Eu sou do interior de São Paulo. Nasci numa cidade pequena chamada São Bento do Sapucaí, mas estou em Campos do Jordão desde que me conheço por gente. Eu descobri que queria ser escritora quando a ideia do meu primeiro livro surgiu, aos 17 anos. Mas antes disso eu sempre tive uma intimidade com essa parte da escrita. Na escola, eu adorava redações, resenhas críticas, produções de textos. Também rabiscava os cadernos com versinhos e poemas. A coisa toda só se intensificou quando resolvi escrever meu primeiro livro. 
Como se deu a escolha do seu pseudônimo "A. C. Nunes"? 
R: Meu nome de batismo é Amanda C. Costa (abrevio o sobrenome porque não gosto dele HAHAHAH), mas toda a minha família materna é Nunes. Por algum motivo que eu não sei, eu não fui registrada com o sobrenome materno, somente com o paterno (Costa). Quando eu descobri o Wattpad, eu passei a publicar minha história como "Amanda Costa". Não lembro o user na época, mas quando consegui a publicação do 60 horas, que foi sob o pseudônimo Amanda Nunes, eu troquei meu user do Wattpad para ac_nunes, onde AC são as iniciais de Amanda Costa, pois não havia nenhum user amandanunes disponível, e eu também não queria colocar números e etc no user. De uns dois anos pra cá, decidi usar o user ac_nunes como pseudônimo. Daí A.C. NUNES. 

Como acontece a sua inspiração para criar suas histórias? Existe alguém que te inspira? 
R:Minha inspiração vem de todos os lados. Meu romance de terror, Hotel Califórnia, por exemplo, foi inspirado numa música homônima, sucesso dos Eagles, inclusive. O 60 Horas me inspirei no filme Adrenalina. Estou trabalhando em um projeto em que me inspirei num conto que eu escrevi para uma antologia (e que foi selecionado, aliás hahaaha). Eu já escrevi contos que surgiram em simples conversas do cotidiano. Tem história inspirada em jogos de RPG. Então minha inspiração é muito natural e fluída, e não vem de algo ou alguém específico. Às vezes ela surge de coisas muito banais. 

Como aconteceu o processo de publicação? Você procurou pela editora ou ela te procurou? Como foi que o sonho se tornou realidade? 
R: Eu procurei pela editora. Eu conheci a Hope pelo Facebook, através de uma escritora que tenho como amiga, e eu sempre a via publicando sobre o livro que estava lançando por essa editora. Fui procurar saber, enviei o original e recebi uma proposta bacana (é uma editora paga). Depois que assinei o contrato, estive envolvida durante todo o processo, revisão, diagramação. A Jéssica, dona da Hope, me deixou o tempo todo a par da publicação do livro.  

Você sempre publicou por editora? Se não, como foi a transição? 
R: Meus livros físicos, sim. Os e-books fiz de forma independente na Amazon. Acho que com uma editora, quando ela é muito boa, vale a pena investimento no livro físico, ou até mesmo no e-book. Mas eu particularmente sempre preferi lançar os e-books de forma independente. 

Como tem sido o processo de produção e divulgação do seu livro? 
R: Está sendo muito bacana. Como fiz parcerias com vários blogs, a divulgação está bem intensa. Eu também normalmente ajudo na divulgação, tiro fotos, brinco com posts falsos de Facebook e twitter; da maneira que eu puder, eu divulgo. 

Como tem sido o feedback dos seus leitores? 
R: O e-book de Amor à Segunda Vista eu tive um feedback muito bacana. O o livro tem uma média de avaliações no Amazon de 4,7 de 5 estrelas. Vez ou outra eu recebo mensagens de leitores falando sobre os livros e tal. O físico, como ainda está muito recente, não recebi feedback nenhum, ainda. 

Conte um pouco das suas outras obras. 
R: Tem o 60 Horas, que é um suspense, e narra a história de um sargento que precisa conseguir um resgate exorbitante para a esposa sequestrada. Contrato de Casamento Contrato de Casamento 2 são dois romances que tem como premissa o casamento por conveniência; o segundo é um spin-off, e não uma continuação, tem o mesmo enredo, mas é mais cheio de segredos e revelações. Aí tenho mais duas continuações de Amor à Segunda Vista e um spin-off da trilogia que se chama Amante Improvável, que narra a história do Henrique (não me aprofundo mais pra não dar spoiler). Por fim, tenho o Hotel Califórnia que é meu primeiro livro de terror e será lançado ainda esse ano pela Xeque-Matte. Nesse terror, um grupo de amigos pernoitam num hotel, mas acabam vivenciando mortes terríveis sem saber se estão lidando com uma entidade sobrenatural ou um psicopata. 

Quais são os planos futuros? 
R: São tantos. Quero comprar meu carro, voltar para a faculdade, quero construir outra casa pra mim, em alguns anos quero planejar um terceiro filho rs; e, claro, escrever muito.

Para finalizar, há quem diga que o desejo da pessoa revela muito sobre ela, então nos conte, qual é o seu maior desejo?  
R: Eu queria poder viver dos meus livros. Viver bem, quero dizer. É o meu maior desejo. 

Curiosidades:

  • O personagem Alfredo Hauser foi inspirado em outro personagem de mesmo nome. Quem não se encantou com a história de Alfredo Rockfield e Milla Lopes, de Pícara Sonhadora? A autora do livro assistiu todas as vezes que a novela foi televisionada no SBT e é simplesmente apaixonada pela trama.
  • O livro foi publicado no Wattpad, mas depois retirado para ser completamente rescrito. Com uma trama e uma escrita mais amadurecida, a autora deixou o livro mais instigante e emocionante, lançando-o posteriormente na Amazon.
  • O livro estava engavetado, com alguns capítulos no Wattpad. Graças a uma leitora, hoje uma das melhores pessoas na vida da autora, o livro foi finalizado — e depois reescrito. Com certeza, se não fosse por esse incentivo, a trilogia não existiria.
  • Inicialmente, Amor à Segunda Vista seria uma duologia. Mas a autora criou um enredo para um terceiro livro para que pudesse trabalhar mais a relação de Alfredo com outros personagens, como o irmão, e com a própria Lívia, mostrando-o um homem completamente amadurecido e diferente do Alfredo primeiro livro.
  • Em Amor à Segunda Vista, Alfredo tem uma cafeteria em sociedade com o melhor amigo, Bernardo. Curiosamente, a autora já teve dois patrões donos de uma chocolataria e cafeteria que eram sócios e se chamavam Alfredo e Bernardo; isso aconteceu quando ela já estava escrevendo o segundo livro da série.
Se você ainda não viu as outras postagens onde a autora conta um pouco sobre seu novo livro e seus personagens,clique aqui, aqui e aqui. ♥


Nenhum comentário :

Postar um comentário