[Resenha] Belo desastre. (+bônus)

Sinopse:

Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.


Minha opinião
"Travis Maddox é um garoto popular, muito temperamental, "respeitado" e admirado por todos na Universidade Eastern. Conhecido também como Travis Cachorro Louco Maddox, por causa das lutas ilegais que acontecem durante o ano letivo. De repente ele tem o destino cruzado  com o de Abby Abernathy, uma garota cujo único desejo é ser normal. Mas, Travis representa para ela uma série de coisas que ela deixou para trás e ficar com ele pode reabrir velhas e dolorosas feridas."
Eu ouvia falar muito sobre Belo Desastre; "o melhor livro do mundo". Confesso que comprei o mesmo com um pouco de receio, pois, havia também várias críticas ruins sobre o tal.
Até agora eu estou um pouco confusa sobre a minha opinião fixa do livro. Eu nunca, em minha vida toda, odiei e amei tanto um livro como esse.
Para mim, o ponto forte desse livro é Travis Maddox, até certo ponto. Ele é sexy, pegador, tem uma inteligência oculta e para ele, existe uma lei: sexo sem compromisso! Até conhecer Abby, que vira seu mundo de cabeça para baixo. Não conseguindo nada com a garota, aceitar ser apenas seu "amigo". 
Mas, no momento em que eles começam a ter uma relação o livro vira puro clichê. Travis fica MUITO pegajoso, e é sempre aquela história, eles brigam, Travis vai atrás, e eles voltam. E tirando o fato do livro ter muito diálogo. Eu gosto muito, mas nesse caso, é exageradamente ruim. 
Os personagens secundários são bem aproveitados, eles tem um forte papel na vida de Travis e Abby.
Até agora não sei como odeio e amo tanto um livro assim, e torço tanto para um casal dar certo.
O que gostei do livro é que ele toca em diversos assuntos como cigarro, sexo, bebida, ciúmes, amizade... sem querer dar lição de moral para o leitor, mas, passando uma certa mensagem subliminar. 


DESASTRE IMINENTE:

Nada mais é que, Belo Desastre na concepção do Travis. Nele eu acabei descobrindo várias coisas "ocultas" sobre o nosso queridinho sensual Travis Maddox. Ele salvou muito a minha opinião sobre o livro anterior, e graças a ele tive força de vontade para terminar os livros. 
BELO CASAMENTO: (Vou dar apenas a sinopse, porque ainda não terminei de ler, e assim, vocês ficam com gostinho de quero mais.)

Sinopse:

 A louca e viciante história de amor de Travis e Abby foi narrada por ela em Belo desastre e por ele em Desastre iminente. Como num conto de fadas moderno, sabemos que eles se casaram e foram felizes para sempre... mas quanto realmente conhecemos dessa história? Por que Abby fez o pedido de casamento? Que confidências eles trocaram antes da cerimônia? Onde passaram a noite de núpcias? Quem sabia que eles iam se casar e guardou segredo? Todos os detalhes sobre o casamento de Travis e Abby eram secretos... até agora. Os fãs do casal mais quente da literatura terão todas as suas perguntas respondidas nesta história vertiginosa sobre o dia (e a noite...) do casamento de Travis e Abby — e o melhor, contada pelo ponto de vista dos dois!

Trechos que marquei: 

“Eu sabia, no segundo em que te conheci, que havia algo em você que eu precisava. Acabou que não era algo em você. Era simplesmente você.”
“Eu não estava bravo com você. Eu só tenho o péssimo hábito de atacar verbalmente aqueles com quem me importo. É uma desculpa tosca, eu sei, mas eu sinto muito.”
“Não era apenas eu nem apenas ele. Era o que nós dois formávamos juntos.”

Escrito por: Jhena Ferreira


Nenhum comentário :

Postar um comentário