[Resenha] Sonata em punk rock - Babi Dewet

“Sonata em punk rock”; autora: Babi Dewet; editora: Gutemberg; 300 páginas.
Compare e compreAdicione ao skoob
     Valentina Gontcharov, mais conhecida como Tim, é uma garota humilde, dos cabelos rebeldes platinados, com ouvido absoluto e que respira música. Seu grande sonho de estudar música se realiza de uma forma inesperada: seu pai, um famoso violinista, retorna com peso na consciência por ter abandonado ela e sua mãe e resolve reparar o erro custeando os estudos da garota. Mesmo não querendo receber nada desse homem que nunca foi mesmo seu pai, ela resolve aceitar, decidida a provar pra ele que ela é muito boa com música.
"A vida é como uma orquestra; são necessários muitos instrumentos em harmonia para que a música toda faça sentido. Mas, na maioria das vezes, você nem sabe tocar esses instrumentos. E, sempre vai ter alguém dizendo que seu gosto musical é ruim, mesmo que seja o som que te faz feliz. e isso é um saco principalmente quando se é jovem e cheio de sonhos" 
     Assim que chega à cidade da música, no colégio Margareth Vilela, as coisas vão a surpreendendo, desde a notícia que precisaria trocar sua paixão pelo punk rock para adquirir gosto pelo piano ao tocar “músicas de elevador” (como ela nomeia as músicas clássicas), até o fato de que o maior pianista do colégio, Kim, ser um asiático extremamente deslumbrante. Talentoso. E idiota.
     Ela o conhece quando o encontra bêbado e ela acaba o ajudando. Depois disso, eles se encontram nos corredores mais algumas vezes, mas ele faz questão de fingir que não lembra dela e irritada com isso, ela decide fazer o mesmo. Até que ela percebe que se não receber ajuda, reprovará na matéria de piano. Mas para quem pediria ajuda? Sim, para Kim, já que ele era o melhor nisso. E para fazer com que ele aceitasse, ela usou de chantagem.
    Kim sabia que Valentina não teria como realmente prejudicá-lo, mas aceitou mesmo assim, talvez por uma curiosidade pela garota, afinal, quando ela estava por perto, sua música preferida começava a soar em sua mente e tudo se tranquilizava. Kim sempre teve problemas de concentração e sua mente o perturbava muito, sendo necessário tomar diversos remédios e às vezes apelava para as bebidas alcoólicas. Mas misteriosamente ele encontrou uma forma melhor de controlar seu problema: Valentina.
“Porque a regra é clara: se você cresce com todo mundo à sua volta dizendo que você é um gênio, você acredita nisso. E provavelmente sofrerá depois que se encontrar no meio da sociedade como uma pessoa normal, mais uma no meio de tantas.”
     Kim tem seus próprios fantasmas e um relacionamento conturbado com sua mãe, que reprova a proximidade dele com Valentina. Para ela, e para boa parte dos professores do colégio, Valentina não se enquadra nos padrões dos estudantes do local. Mas, claro, com sua grande personalidade ela prova que estão todos errados. Mas isso, claro, ela precisava dar mérito ao seu lindo professor. Entretanto, precisamos dar crédito a Valentina também, que ensinou muito mais a Kim do que qualquer professor seria capaz de ensinar.
     "Ela era bem mais madura do que aparentava, e agora Kim tentava não julgar mais as pessoas a partir de suas roupas e do tipo de música que ouviam. Essa era uma das várias coisas boas que ele tinha aprendido com Valentina."
     A obra é um verdadeiro kdrama (drama coreano) apresentado em livro, com uma evidente marca brasileira com muita delicadeza. Assim como a maioria dos kdramas, os personagens possuem problemas que os impedem de ter um relacionamento saudável com outras pessoas e agem de forma um pouco imatura. Assim como o casal que enfrenta alguns impedimentos e desavenças. Mas mesmo assim, possui aquela doçura que demonstra um sentimento que sobrepõe às dificuldades. Toda a narrativa é embalada com muita música, de forma divertida e delicada. Com tanta descrição de música, me senti até influenciada e acabei ouvindo várias músicas clássicas pela primeira vez. Inclusive acredito que pode ser uma ótima ideia ler enquanto as ouve, afinal, por ser música clássica, não há letra, o que facilita a concentração. E ainda dá um entendimento maior sobre as sensações da cena descrita.

     A história é simples e não se aprofunda muito nos problemas dos personagens, já o funcionamento e a rotina do colégio receberam bastante atenção. Volto a repetir, esse livro é como um kdrama ou mesmo um dorama, se você é fã do gênero, certamente vai devorar esse livro rapidamente. 


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Template desenvolvido por Bruna Borges © Todos os direitos reservados - Powered By Blogger