[Poema] #18 Te quero


Desta vez, o rapaz demonstra sinceridade, não apenas elogiando a beleza de sua amada, mas dando ênfase à personalidade, qual considera sobremaneira.



Te quero

Te quero, te quero
Oh! Como te quero
Não para a possuir
Não como um ornamento
Não como status para espalhar boatos
Te quero
A quero muito
Para aprender contigo
Para ensinar-te
Te amar como nenhum outro amaria
Te fazer feliz, realizada, completa
Minh'alma é sedenta por ti
Minhas entranhas estremecem quando ouço falar em seu nome
Quando a abraço 
Seu cheiro me faz delirar
Leva-me a me apaixonar
Quando toco sua pele sou levado à loucura
Deliro em meus sentidos
Minha mente perde o rumo
Seu corpo é arte que fala
Seus olhos são janelas para paisagens tão belas
Seu sorriso, cativante
Alumia-me a alma
Seus gestos delicados despertam em mim a compaixão
Seus passos são preciosos
Me cativam, pois não falham
Demonstram integridade, personalidade
Apesar de sua tamanha beleza
Seu jeito se sobressai
Encanta e me distrai
O grito permanece
Não esmorece
A cada olhar, a cada sorriso
A cada beijo, a cada andar
Ele se fortalece
Que intenso desejo
Por isso te almejo
Não me detenho
E junto ao vento
Minha voz ecoa
"Te quero, te quero
Oh! Como te quero"
Como uma mãe, pacientemente, espera seu filho nascer
Eu a espero até ao entardecer

Nenhum comentário :

Postar um comentário