[Autores independentes] #3 Autor: Lucinei Campos

Olá, leitores! 
     Hoje trago mais um autor que se autopublicou, uma tarefa que exige bastante comprometimento e força de vontade mas que, segundo ele mesmo, é muito recompensador. O autor é o Lucinei Campos e ele é autor parceiro do blog! 
     
     Lucinei Campos de 33 anos, é carioca e professor de história e sociologia em sua cidade. Sua relação com os livros começou desde os nove anos. Nessa época, ele costumava desenhar histórias em um caderno após assistir filmes dos quais não gostava do final e decidia mudar. Com o passar dos anos, ele conta que não conseguiu se adaptar com os desenhos e então tentou outras áreas artísticas: teve uma banda musical, trabalhou com cinema, TV e teatro e por fim, se encontrou na arte da grafia. "Com o tempo, eu decidi fazer o livro de maneira independente e acho que acertei. Estou colhendo frutos maravilhosos até hoje. Além de viajar pelo Brasil, conhecer pessoas, é sempre bom ler e saber o quanto suas palavras, e as de um personagem seu, faz diferença na vida das pessoas que sabem apreciar essa arte", relata.
     Ele participa de todo o processo de produção, exceto a impressão que é feita por uma gráfica. Lucinei conta que nessa forma de publicação é possível ser bem mais próximo de seu leitor. A única dificuldade que ele encontra nesse processo é a distribuição de seus livros para venda. Mas isso não o impede de atingir seus objetivos. O autor conta que participa de vários eventos e vai à livrarias pedir um espacinho para ele. Atualmente, ele já participou de incontáveis feiras e seus livros já estão disponíveis para venda nas principais livrarias do Rio de Janeiro. 
     Já na divulgação, ele conta que a internet é sua maior aliada. Blogs e grupos de leitores têm sido ferramentas fundamentais para tornar suas obras conhecidas. Mas ele também tem muito trabalho fora do ambiente virtual. Lucinei já participou de bienais em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, entre outras. O autor também realiza palestras em escolas, onde seu livro já tem sido adotado. 

Autor Lucinei Campos. Foto: (Arquivo pessoal)

Entrevista: 

Como é esse processo (produção, divulgação e venda de seus livros)?
     Por ser independente eu passo pelos dois lados: um bom e um ruim. No início, eu achava o máximo controlar toda a produção do livro, diagramação, impressão, poder ir nas feiras e outros eventos e conhecer as pessoas; mas o ponto ruim é a não distribuição dos seus livros pela falta de uma editora que te apoie. Corri muito atrás para contornar esse problema. Hoje, meus livros são vendidos em algumas livrarias, não todas, mas o contato muitas vezes foi iniciado por mim. 
     E a divulgação feita com muito carinho por outras pessoas também ajuda: os leitores que gostam e indicam as obras, os blogueiros que lhe dão espaço (como você) fazendo resenhas, muitas resenhas, além de entrevistas, concursos... Sem contar as parcerias com os livreiros que possibilitaram a ir em diversos eventos como bienais, salões e feiras de livros onde pude mostrar um pouco do meu trabalho. É dessa forma que Lavínia segue ganhando espaço e agora Violeta também.

Você acha que a publicação independente, como no seu caso, é a melhor alternativa quando não consegue o “sim” de uma editora? Ou para a economia nos custos?

     No Brasil, a cultura não é a leitura. Por mais que estejamos vendo isso mudar, ainda é pouco. Você recebe convite para uma roda de samba, churrasco, cinema entre outras coisas, mas uma roda de leitura, ainda é algo estranho. Eu acredito que para um autor que ama e deseja trabalhar pelo seu amor, deve sim, tentar uma editora, e se não conseguir, lançar a independência. Economia você não terá se fizer tudo certo. Você gasta tempo, dinheiro e espaço. Você se planeja para escrever e ir nos lugares. Deve-se pensar bem antes.

Como você detalharia a produção de um livro feito com suas próprias mãos?

     Carinho, tempo, pesquisa e muito de mim. Doação. Eu costumo escrever, mandar para a revisão, esquecer dele e partir para outro. Quando volta, eu leio, diagramo, faço a capa e já vou pensando no que posso fazer para a divulgação.

Como tem sido o feedback de seus livros?

     Eu faço muitas feiras, então, o encontro com pessoas que já leram algo meu, é surpreendente. As pessoas se sentem íntimas de alguns personagens, causando assim, elogios. E alguns eu nem chego a conhecer ainda, pois compram os livros na livraria e depois me chamam no Facebook para conversar. Acho isso maravilhoso.


►Tive o prazer de ler um dos livros que ele autopublicou, o "Lavínia e a árvore do tempo", tem resenha aqui no blog >>clique aqui<<

Nenhum comentário :

Postar um comentário