[Resenha] Céu de menta - Camila Martins

CompreAdicione ao skoob

     “Céu de menta”; autora: Camila Martins; Editora: Hope; 183 páginas.
Que doçura! Repeti isso diversas vezes enquanto lia esse livro precioso. Possui uma delicadeza, uma sensibilidade e uma emoção muito forte na narrativa. A construção de todos os personagens, até os secundários, é carregada de carinho.
    Ana é uma garota espectro autista que conhece João - um garoto gordinho que mora na casa ao lado - por meio de sua janela quando ele a convidou para brincar. Ela, com seus receios, teve medo, pediu que ele descrevesse como estava lá fora, incluindo a cor do céu. E assim ele fez, permitindo que ela saísse para brincarem.

   Após esse dia, os dois se tornaram inseparáveis, melhores amigos. João passou a conhecer as dificuldades e o encanto da garota, sentimento que foi se transformando em amor. Ana, apesar de levar um pouco mais de tempo para perceber, também começa a descobrir esse sentimento. As dificuldades que os rodeiam são destruídas pela força que um dá ao outro.
“Olhar nos olhos é basicamente um anúncio em letras garrafais de que ela está confiando nele completamente, está dando a ele permissão de enxergar sua alma, seu coração, suas alegrias e medos. Está dizendo que ela o aceita por inteiro em sua vida. Será que João consegue ver isso?”
     João tem uma família desestabilizada, que com a preocupação pelo status, está desmoronando. Ele não consegue se relacionar com ninguém, exceto sua vó, uma senhora doce pela qual ele tem muito carinho. E ter encontrado Ana dá o ânimo que ele precisava para confrontar seus medos. Ana, apesar de gostar das coisas bem lentas para poder acompanhar, consegue agir sempre no momento certo e João tem muito o que agradecer por isso.
     A amizade que vai sendo construída entre eles é a mais pura e verdadeira. A clássica cena (se ainda não for, vai se tornar) em que eles estão brincando com pedras e João tem a criativa ideia de colar um papelzinho embaixo de uma com os dizeres “faz de conta que é uma flor” e dar a Ana, é uma bela ilustração da pureza de todo o sentimento que os embala.
     Além do romance, a autora aborda a questão do autismo e mostra como a pessoa portadora é totalmente como qualquer outra pessoa. E pode amar até mais. A protagonista que é inspirada na própria filha da autora, é uma garota doce, amável e muito inteligente, com um dom especial.  A história passa várias reflexões, vários ensinamentos, basta você estar de mente aberta e coração receptivo para abraçar o jovem casal que transborda amor pelas páginas.
 “Não tem preço ter alguém inteiro em nossas vidas. São raridades. Seja raro e logo seja exemplo para que se tornem muitos inteiros, ajudando metades a inteirarem-se também.”


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Template desenvolvido por Bruna Borges © Todos os direitos reservados - Powered By Blogger