Ultimas

14 novembro 2019

[Resenha] Amor à segunda vista - Mhairi McFarlane

“Amor à segunda vista” autor: Mhairi McFarlane; Editora: Harper Collins; 382 páginas.


Aurelianna jamais vai se esquecer da época de escola quando foi humilhada pelo garoto que sempre gostou. Como todas as jovens, ela fantasiava com James, o garoto mais bonito e popular do colégio e quando teve uma aproximação dele, nunca imaginou o que aconteceria a seguir.

James e seu melhor amigo a enganaram para subir ao palco fantasiada de cantora de ópera e ali exposta, todos os alunos jogaram doces nela e despejaram palavras de insulto. Mas a que mais ficou fixada em sua mente foi James a chamando de “elefante” antes de se afastar dela.

Esse acontecimento a deixou traumatizada, Aurelianna, uma jovem acima do peso, que usava roupas confeccionadas em casa e cabelo desajeitado, passou seus dias seguintes sofrendo com a humilhação e lutando com a vontade de deixar de existir. Ela havia passado por diversas zoações no seu dia a dia por causa de sua aparência, mas esse acontecimento com James, foi o estopim.

Anos depois, a jovem cresceu e mudou sua aparência e também seu nome. Agora ela se chama Anna, tem um emprego que ama muito, mas aquela história do passado não morreu, está apenas escondida em seu interior e ela logo vem à tona quando ela reencontra James em um evento de seu antigo colégio.

Ele, junto ao seu fiel escudeiro, Laurence, não a reconhece e Laurence chega até mesmo a cantar ela. Surpreendida com o resultado, ela inventa uma desculpa e vai embora determinada a deixar todo esse passado para trás de uma vez por todas.

“Está na hora de você aceitar que são eles que têm algo de que se envergonhar. Não você.”
Mas o destino a surpreende novamente quando coloca James em seu caminho mais uma vez para trabalharem juntos em um projeto. Dessa vez, sem ter como fugir, ela decide dar uma chance para ele. Com um pouco de aproximação, ela começa a acreditar que ele pode ter mudado após todo esse tempo. James é um cara adulto agora, afinal. Mas será que as pessoas mudam?

James não lembra de quem Anna é, só sabe que é uma moça maravilhosa que conheceu por acaso e de quem tem gostado muito da companhia. Após ser deixado por sua esposa, ele permanece em modo de espera, aguardando que um dia ela deixe o amante e volte para ele e seu gato. Com certeza cego pelo amor, ele não percebe que esse relacionamento não tem mais nada e isso o impede de enxergar o que está bem diante dos seus olhos.

“Pense nisso como um alpinista que cortou a própria mão com um canivete quando ficou preso por uma pedra. Terminar um relacionamento é assim. É feio e dói muito no curto prazo, mas você precisa fazer para recuperar sua vida.”
Todo o mistério de quem realmente é Anna não dura muito bem. E a revelação vem acompanhada de muito discurso sobre bullying na adolescência e as marcas permanentes que elas causam. Um discurso que faz refletir que as atitudes dos adolescentes devem ser corrigidas ainda na adolescência para que não crie problemas para o futuro. Alguns acontecimentos não são esquecidos e podem acrescentar de forma trágica na vida de muitas pessoas.

Anna é um exemplo de força e superação, mas também de pessoa humana, com suas inseguranças e suas paixões. Ao reencontrar James e firmar uma amizade supostamente sincera, ela entra em conflitos com fantasmas do passado. Sobretudo também com a Aurelianna adolescente que sempre teve uma quedinha por esse homem. Talvez ela se apaixone de novo pelo mesmo cara que a fez sofrer. Mas será que James é ainda o mesmo cara?

“Anna solteira era Anna inteira. Não encontrar alguém não era um fracasso, era só um fato.”
Com forte referência italiana, o livro nos traz uma personagem com muita personalidade e com um drama consistente que sempre será atual. Com uma narrativa instigante, a obra nos apresenta personagens contagiantes com lições valiosas. O bullying não é o único tema retratado, a amizade, família e arrependimentos, também fazem parte da trama. Isso sem deixar o bom humor, é claro. O livro consegue ser tão divertido quanto empoderado.
 
“Não trabalhe demais se quiser ser feliz. Os homens gostam muito mais das divertidas do que das inteligentes. O que significa que você vai ser bem-sucedida, mas solitária.”


“Pense no seguinte: se demorou 32 anos para encontrá-la, pode facilmente levar outros 32 para encontrar outra pessoa à altura dela. Você quer esperar até estar numa vila para aposentados, com liftings faciais que fazem parecer que você foi atirado de um canhão, ou quer ser feliz agora?”
Compre: Submarino  Americanas  

Um comentário:

  1. Olá! Fiquei feliz em saber que gostou do livro. Amei a sua resenha, está bem escrita e dá vontade de ler esse livro.
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir

 
Copyright © 2013 Estante da Josy
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Design by FBTemplates