[Poema] #19 Que bom que te encontrei

Novamente o autor elucida traços da personalidade se sobressaem. Apesar de não ser das mais belas, ser rejeitada pelos seus  e outras donzelas, seus trejeitos, sua personalidade é forte sobremaneira, e gera mais fruto que todas aquelas que a julgam.


Que bom que te encontrei


Aquela flor delicada, sensível
Não aparenta ser a mais bela de todas as flores
Nem ao menos chega perto de ser
"Sua aparência não engana", pensam
"Ela não alimenta", afirmam
Não a desprezam de fato, no entanto não dão a devida atenção
É uma flor de fases
"Inconstante, insípida, desgosto", bravejam
Não! Pelo contrário
"Sou precisa", responde a flor
Seu fruto não esmorece
Não perde o gosto, não se perde nem se deteriora
É permanente
Duvidam de seu potencial e capacidade por ser delicada
Seu fruto leva tempo
Processo é lento
Gosto amargo no início, cheiro desagradável
Mas, ao término do processo
Torna-se o fruto mais saboroso
E, então...
As abelhas pousam sobre ela
Sobremaneira contentes
Competem entre si pelo alimento
Multidões alimenta
Mantém o ecossistema ativo
Assim expressa sua beleza, seu fulgor
De forma impecável
Sem ser chamativa, mas objetiva
Clara, precisa
Intensa, mas não propensa a erros
Diligente, paciente

Nenhum comentário :

Postar um comentário