[Resenha] Transformer: A história completa de Lou Reed

Olá leitores, como estão? Hoje trago para vocês novamente uma “resenha musical”. Lançado pela Editora Aleph, em 2016, “Transformer: A história completa de Lou Reed”, foi escrito por Victor Bockris e traduzido por Bruno Federowski e Marcia Men. O livro tem 512 páginas, 27 capítulos, e ainda conta com apêndices, fontes e notas, a bibliografia usada e índice remissivo.

Resultado de imagem para transformer: A história completa de Lou Reed Sinopse

Responsável por antecipar o espírito simples e libertário do punk, Lou Reed, líder da seminal banda The Velvet Underground, seguiu os caminhos mais perigosos e cheios de glamour em busca de um bom refrão. Transformer: a história completa de Lou Reed narra a trajetória desse artista tão plural e dissonante, dissecando suas transformações ao longo dos quarenta anos de carreira. Bockris relata desde o tratamento de eletro-choque ao qual Lou foi submetido na adolescência – último recurso da tentativa frustrada de barrar sua rebeldia e sua homossexualidade – até os sucessos e polêmicas da carreira solo, passando pelas relações conflituosas com suas musas e por seus problemas com drogas. As muitas camadas de um artista complexo são reveladas de maneira inusitada em relatos de quem o conheceu de perto, como John Cale, Andy Warhol, Nico, Laurie Anderson, William S. Burroughs e David Bowie.
Está obra pode ser descrita facilmente com uma palavra: Explosiva! Não poderia ser diferente se tratando de Lou Reed.
Citar Lou e não emendar em música de muita qualidade, polêmicas e uma personalidade única, não é possível. Essa biografia trata em detalhes, colhidos a pessoas do convívio do artista, toda a trajetória deste ícone da música.


“Quando penso em Lou, eu me recordo de como ele era um romântico. E divertido. E daí, quando ele tivesse te atraído com aquela doçura, precisava te destruir para poder sobreviver. Ele não conseguia se controlar.”
Lou sempre esteve à frente de seu tempo, por isso talvez nunca tenha se encaixado nos padrões impostos pela sociedade e por sua família. Logo no inicio da obra o autor é levado a um dos momentos mais marcantes da vida de Lou: por recomendação de sua família ele é submetido a tratamentos de eletrochoques. Com o intuito de molda-lo de acordo com os pensamentos conservadores de sua família, torna-lo menos rebelde, e principalmente “cura-lo” de sua eminente homossexualidade, esse foi o tratamento que modificou para sempre o jovem Lou.

“As pessoas precisam morrer pela música”.

O leitor é transportado para o cenário do rock e apresentado ao punk dos anos 60/70, onde pode conhecer um Lou Reed que exala juventude e explode para se tornar um dos maiores músicos de todos os tempos.
E é nesse contexto que a obra caminha, com uma pesquisa de campo muito intensa o leitor é levado desde o nascimento de Lou em 2 de março de 1942 até sua morte em 27 de outubro de 2013.
É sem dúvida uma obra muito interessante para quem gosta de música, para quem gosta de rock e punk, mas também para quem aprecia ler obras ricas em detalhes sobre alguém que se permitiu ir ao extremo sempre. Através de sua música ácida e cheia de críticas a sociedade, podemos acompanhar um Lou Reed nos tempos de início na música com a The Velvet Underground, até o ápice em sua carreira solo.

“Era uma pessoa de muita generosidade e bondade, mas conseguia destruir alguém com o olhar”.

Lou é um desses caras, que já se foi, mas que permanece vivo em todo seu grande e brilhante legado musical. O livro tem algumas fotos, e apesar das mais de 500 páginas eu lhes asseguro que em nenhum momento a leitura se torna monótona.
“I don't know just where I'm goingBut I'm gonna try for the kingdom if I can'Cause it makes me feel like I'm a manWhen I put a spike into my veinThen I tell you things aren't quite the sameWhen I'm rushing on my runAnd I feel just like Jesus' sonAnd I guess that I just don't knowAnd I guess that I just don't know”Music – Heroin*

Transformer: A história completa de Lou Reed é indicada a pessoas que gostam de biografia, e até para as que não são muito abertas a esse gênero. É indicada para quem tem a mente aberta sobre questões polêmicas como homossexualidade, sexo, drogas e muito rock in roll.
Bom meus queridos, por hoje fico por aqui. Espero que tenham gostado!
Até a próxima!

* Tradução de Heroin
Eu não faço ideia onde eu estou indo
Mas vou tentar o paraíso, se eu puder
Porque me faz sentir como um homem
Quando eu enfio uma agulha em minha veia
Então eu lhe falo que as coisas não são as mesmas
Quando estou correndo em minha corrida
E eu me sinto como filho de Jesus
E acho que eu simplesmente não sei
E acho que eu simplesmente não sei


Nenhum comentário :

Postar um comentário