Histórias que carregam histórias

Dedicar livros é escrever na primeira página de um livro um pequeno texto, geralmente explicando o motivo pelo qual está dando aquele livro. Essa é uma ação que sempre foi praticada. Tanto entre pais que dedicam os primeiros livros dos filhos, até namorados que encontra ali, naquela história, uma forma de declarar seu amor.

“É pra mim uma forma de você deixar sua marca num livro que dá ou recebe de presente, fazendo com que a pessoa se lembre de você – ou a pessoa te faz lembrar dela”, conta Janaína Fernandes.
Juliana Souza diz que dedicatórias tornam os livros únicos e conta que já ganhou uma dedicatória em um livro religioso que, se não fosse pela dedicatória, jamais teria lido. “Foi uma grande experiência para mim”, afirma.
Já para Fernando Araújo, deixar uma dedicatória é uma forma de garantir que o livro não vai ser repassado. “Uma dedicatória é uma forma de garantir que o livro dado não seja passado para frente ou vendido, pois ele está sendo marcado”, diz.
Mas mesmo assim é comum vermos livros com dedicatórias que foram vendidos para sebos. Para alguns, encontrar essas dedicatórias feitas há tanto tempo em um livro é quase uma relíquia. Maira Marini conta que, quando vai em Sebos, sempre faz uma busca por dedicatórias, ela diz que essa é a versão de “leitora romântica” dela. “Amo livro velho e cheio de marca, acho lindo e poético”, conta e ainda completa “É um ótimo presente durante várias gerações”.
Karla Silva só compra livros em sebos e conta que todas as vezes que pega um livro que contenha dedicatória, se pega imaginando a história que aconteceu ao redor dele. “Já peguei um livro que a antiga dona sofria por amor e escreveu o que sentia em uma das páginas, esse é o meu preferido”, relata.
Página com dedicatória que Karla menciona
E quando a dedicatória foi feita por alguém que não é mais tão desejável? Fernando Araújo diz não importa de quem tenha sido a dedicatória, é inaceitável se desfazer dela. “Já jogou fora uma nota de 100 reais no lixo? Pois é, eu também não. Mas imagine a sensação. Eu sentiria o mesmo se me atrevesse me livrar de uma dedicatória. É como jogar sentimentos no lixo”, diz. Já Janaína Fernandes conta que jogou fora várias dedicatórias que foram feitas por seu ex-namorado. “Deu dó arrancar as páginas, mas acabou fazendo bem”, explica.
Um livro com dedicatória carrega mais que uma história. Ele representa uma data, um momento e marca uma vida. Um livro assim, deixa de ser apenas “um livro”, passa a ser um bem valioso. Dedicar um livro é uma arte, um elogio. Dedique!

Livro encontrado por Jessie Esquel na Biblioteca Pública Curitiba

Livro de Tainara Correa
Livro de Layne Beija





Para quem quiser ver mais dedicatórias de livros, o site “Eu te dedico” reúne centenas de dedicatórias para brincar com o imaginário de qualquer leitor.

Agora... Que tal escolher um livro e dedicá-lo para alguém? Quero ver as dedicatórias de vocês também! 

Nenhum comentário :

Postar um comentário