[Resenha] Como viver eternamente - Sally Nicholls

Resultado de imagem para como viver eternamenteOlá leitores! Hoje trago para vocês a resenha do único livro que consegui comprar em minha última ida a Bienal do Livro em São Paulo em 2014. Sim, acreditem comprei apenas um livro. E quando o comprei nunca tinha ouvido falar dele. Mas assim que li o resumo me encantei e fiquei muito curiosa sobre como a autora com 23 anos, conseguiu escrever sobre algo tão sério: a morte.
“Como viver eternamente”, foi lançado pela editora Geração em 2014, e é da autora Sally Nicholls. Muito de vocês talvez nunca tenham ouvido falar dela. Eu também nunca tinha, até ler seu primeiro romance.
A história é contada em primeira pessoa por Sam, um garoto de onze anos que após ter Leucemia por três vezes, agora só o resta esperar pela morte. Não, esse não é um livro triste. Apesar de falar abertamente sobre morte, ele é sobre a vida.
Sam foi diagnosticado com Leucemia três vezes, como citei acima. Nas duas primeiras ele conseguiu uma boa recuperação. Já na terceira vez a doença veio muito forte e os médicos apenas tentaram aumentar seu tempo de vida.

O garoto não frequentava a escola comum, e sim tinha aulas com uma professora junto com seu amigo, que também tinha câncer, Felix. Sua professora os incentivava a escrever um livro sobre as coisas que acontecem em suas vidas.
Sam acata com veemência esse pedido e coloca todos os acontecimentos de sua vida neste livro. Relatos sobre seu tratamento, os sintomas de sua doença, suas aflições, dúvidas, medos, entre outros sentimentos são citados pelo menino.
Afinal, como uma criança reage ao saber que tem pouco tempo de vida? Como esse turbilhão de emoções se passa dentro de um menino? Essas são algumas das impressões que são entendidas ao ler esse romance.
Com uma maneira muito leve e doce a autora consegue falar de um assunto tão triste e pesado. É uma leitura simples e rápida, porém tem uma intensidade que poucos livros conseguem trazer. Conforme os capítulos vão passando o leitor sente angústia sobre o final do livro. Você embarca com o garoto em sua trajetória e pode observar que apesar da pouca idade, Sam tem muito a ensinar sobre as coisas simples da vida.

Mas não se enganem, mesmo tendo algumas partes engraçadas, no final do livro é impossível não derrubar algumas lágrimas após ler o pequeno testamento do menino.
Não importa se você acredita ou não em Deus, ou no que você acredite. O que aprendemos com Sam é que devemos aproveitar ao máximo enquanto ainda estamos por aqui. E que devemos nos sentir muito especiais pelos milagres diários que recebemos todos os dias. “Como viver eternamente”, nos deixa com as palavras desse pequeno menino que transborda vida em sua história de luta, superação e amor.
Novamente os deixarei com alguns dos meus trechos favoritos desse menininho apaixonante. Até a próxima!
“... Se alguém dá câncer a criancinhas, então esse alguém não pode ser bom.”“Posso entender quando alguém velho morre. Você não ia querer viver para sempre. Li um livro uma vez sobre algumas pessoas que vivem para sempre e não gostam muito... No entanto, isso não explica por que crianças precisam morrer”.
“6- Podem ficar tristes, mas não é permitido ficarem tristes demais. Se ficarem tristes toda vez que pensarem em mim, então como vão poder se lembrar de mim”?

Nenhum comentário :

Postar um comentário