Resenha: Todo dia - David Levithan

Título:Todo dia
Autor: David Levithan
Editora: Galera
Páginas: 277
Gênero: Romance

Sinopse:

Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.



Minha Opinião Pessoal:


Como seria acordar todos os dia, cada dia em um corpo diferente? Ás vezes ser um homem, no outro dia uma mulher? Ás vezes ser um atleta, outra ser um deficiente? Esse é o dom de A. Ele(a) (o personagem não tem sexo), todos os dias acorda em um corpo diferente. Tem sido assim desde o primeiro dia em que nasceu. Tudo acontecia normalmente, ele habitava o corpo de uma pessoa por apenas um dia e tomava o maior cuidado para não alterar nada na vida desta pessoa, até que ele habita o corpo de Justin e conhece sua namorada Rhiannon. Ele enxerga esta garota de um modo muito especial e vê que o próprio namorado dela não a vê dessa forma. A partir daí, ele se apaixona por ela e luta todos os dias para ter ela consigo.


Este livro é surpreendente! O personagem consegue ter as experiências de habitar vários corpos diferentes e transmite isso ao leitor. A gente passa a entender o lado dessas pessoas com alguns problemas físicos ou psiquiátricos. Passa a pensar neles, refletir pela aquela vida. É comovente a luta para que a vida dele seja normal, mesmo sabendo que é impossível.É um livro sem preconceitos, 
É lindo!

Classificação:





Trechos que marquei:


“Se tem uma coisa que aprendi, é isso: todos nós queremos que tudo fique bem. Nem mesmo desejamos que as coisas sejam fantásticas, maravilhosas ou extraordinárias. Satisfeitos, aceitamos o bem, porque, na maior parte do tempo, bem é o suficiente.”

“Queria que o amor conquistasse tudo. Mas o amor não conquista tudo. Ele não pode fazer nada sozinho.

Ele depende de nós para conquistar em seu nome”

"Não conseguir o que quer pode torná-lo cruel."

Nenhum comentário :

Postar um comentário