[Resenha] Geekrela - Ashley Poston

Resultado de imagem para geekerela
Compare e compreAdicione ao skoob
Livro: Geekrela
Autora: Ashley Poston
Páginas: 380
Editora: Intrínsica
Uma releitura geek de um dos contos de fadas mais lindo e adorado de todos. Tem como dar errado? Acho que não. Ashley Poston coloca em sua história a medida certa de comédia, romance e do universo geek do qual fazem parte tantos fandoms apaixonados, o que faz do seu livro uma excelente escolha para aqueles que também são fãs.
Em Geekrela nós vamos conhecer a história de Danielle, ou melhor Elle, como ela prefere ser chamada. Caminhando em direção ao último ano do ensino médio, ela não tem uma realidade muito fácil. Sua mãe morreu quando ela ainda era pequena, por isso, só o que restou foram algumas poucas lembranças embaçadas.

Já o pai de Elle morreu quando ela era um pouco mais velha, felizmente ele pôde passar mais tempo com a filha e a apresentou a ela uma de suas grandes paixões, sua série de TV favorita, Starfield, uma ficção científica que colore o imaginário de Elle, a ajuda a continuar conectada com o pai e também funciona como uma fuga da vida junto à sua madrasta e suas meias irmãs postiças, que se assemelham mais à um longo castigo.
Em capítulos intercalados, a autora também dá voz à Darien, um jovem ator, estrela de um seriado adolescente e nerd de carteirinha, que está prestes a realizar um grande sonho, encarar o personagem mais desafiador de sua carreira, Camindor, o príncipe da Federação, protagonista do remake de Starfield que ganhará as telas de cinema em breve.
Enquanto Darien busca a aprovação dos fãs de Starfield e tenta ficar longe de escândalos, Elle divide seu tempo entre as tarefas de casa que sua madrasta a obriga a fazer todos os dias e o seu trabalho na “Abóbora Mágica”, um food truck de comida vegana.
Porém, o futuro da jovem ganha um novo sentido: participar do concurso de cosplay anunciado pela produção do filme e talvez ganhar a passagem para uma vida longe de sua “pessimadrasta”, ao mesmo tempo, por um acaso (ou não) do destino, Elle e Darien começam a trocar mensagens sem que um saiba quem o outro é.
A autora usa e abusa de referências ao longo das páginas, desde Star Wars até Gilmore Girls, o que torna a história ainda mais cativante. Particularmente, os fãs de ficção científica têm um prato cheio nas mãos e irão chegar a última frase desejando poder assistir aos episódios de Starfield.
Mais do que nos contar uma história de amor entre duas pessoas, a autora fala sobre o poder dos fandoms e a paixão entre um fã e seus ídolos, desde aquelas relações que não fazem bem para nenhum dos envolvidos, até o tipo de amor que te faz enxergar um pouquinho de magia no mundo e acreditar que ainda há esperança, mesmo que seja através de um personagem, filme ou série de TV. Podem até achar inútil, mas quer saber? Sorte sua poder fazer parte de algo tão maior e mais importante do que a opinião de quem não entende esse universo.
Ps: Leiam os agradecimentos da autora, sério, um dos melhores.

Citações:
“- Não – digo a mim mesmo – Pare com isso. Você confia nas pessoas. Você ama suas fãs. Você é legal, engraçado e tranquilo. Você é a Jennifer Lawrence.” Pág, 42.
..............................................................................................................
“22h01
- Por quê? Você é fã de Seaside Cove?
Desconhecido 22h01
- Nossa, não. Prefiro Gilmore Girls. Café. Sarcasmo.”  Pág, 74.
.....................................................................................................................
“- Paro de falar. Como argumentar com gente doida?” Pág, 80.
......................................................................................................................
“- Elle, é verdade que a gente não sabe muito um sobre o outro, e é verdade que eu não estou aí e você não está aqui. Mas fico feliz po podermos dividir este céu.”  Pág, 201.
.........................................................................................................................
“Ela pega um crachá na gaveta da escrivaninha. Tem uma linha amarela no topo: é o passe mais alto de todos, do tipo que dá acesso à convenção inteira. Com ele, todo mundo sabe que você não é só mais um visitante; você é alguém. E alguém importante ainda por cima. É o Stan Lee dos crachás.” Pág, 265.
.....................................................................................................................
“ – Você ficou realmente afetado com aquela garota, não foi? – comenta Gail, inquieta atrás de mim.
Lonny vem atrás, como uma sombra gigantesca.

- Aquilo não era uma garota, era uma cria do demo – murmuro, abrindo a porta da área restrita para convidados.” Pág, 268.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Template desenvolvido por Bruna Borges © Todos os direitos reservados - Powered By Blogger