[REPORTAGEM] Escritores regionais insistem, apesar de preconceito do público


Escritores regionais relatam a dificuldade na região.

Autores de regiões pequenas são pouco conhecidos pela própria população. A frustração se deve à falta de divulgação das obras nas cidades e da confiança dos leitores em experimentar algo novo. As pessoas possuem preconceito com o próprio local onde vivem. Apesar das dificuldades, os escritores continuam a lutar para colocar seus sonhos em prática, afinal, fazem esse trabalho por amor.
A professora Natalia Moreno, de Porto Feliz/SP, autora do livro “Quando eu me amar” e “Do caos a esperança”, conta que novos escritores não possuem muito apoio, a mídia prefere investir naquilo que é mais famoso, que é mais certeza de sucesso. “É preciso ter paciência, segurar a ansiedade e ter a mente aberta para uma resposta nem sempre positiva ou, às vezes, até a falta dela. É preciso ser persistente e, principalmente, acreditar em seu trabalho.”, relata.
 Daniel Vilela, 33 anos, autor de Sob o sangue dos Hereges, complementa dizendo que há uma dificuldade muito grande para conseguir uma editora que publique seu livro, em geral, elas esperam um investimento do autor. Com a falta de apoio, eles divulgam o trabalho que fazem como podem: através de redes sociais, grupos e jornais.
Em pesquisa feita em um grupo do facebook “Clube do livro”, que reúne mais de 40 mil membros, conclui que 97% dos livros na estante dos leitores brasileiros são de escritores estrangeiros. Mas ainda tem os que gostam de valorizar a cultura de seu país. “Literatura boa não tem nacionalidade, o que é bom, é bom, independente de onde foi escrito”, afirma Ramon Oliveira, leitor.
O preconceito, as dificuldades... Tudo isso é o de menos para estes guerreiros, como menciona Natalia: “Tudo é recompensado quando recebo um recadinho de algum leitor com palavras carinhosas que tocam o coração”. O trabalho pode não ser reconhecido por milhares de pessoas, mas aquele número de pessoas que a obra atingiu já é muito significativo para eles.

Apesar de todas as barreiras encontradas, eles não desanimam e ainda afirmam: “Escrevo por prazer”.


Conheça as obras dos autores citados:

Natália Moreno


Daniel Vilela
 



Nenhum comentário :

Postar um comentário